Brasil e Reino Unido lançam projeto de cooperação de R$ 80 milhões para agricultura sustentável

O governo federal lançou nesta quarta, dia 14, um programa para reduzir a emissão de carbono e recuperar 41,5 mil hectares de áreas degradadas no país. O projeto Agricultura Sustentável para o Desenvolvimento Rural vai atender regiões dos biomas Amazônia e Mata Atlântica.

A iniciativa do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Departamento do Meio Ambiente, da Alimentação e dos Assuntos Rurais (Defra) do governo do Reino Unido e do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), irá beneficiar cerca de 3,7 mil produtores com capacitação técnica e recursos financeiros.

Durante o evento, o Ministro da Agricultura, Antônio Andrade, salientou que conservação e crescimento econômico podem caminhar juntos e devem ser valorizados.

– Esperamos que este seja o primeiro, dentre outros projetos de cooperação. Que a proposta brasileira possa mostrar na prática que é possível produzir, conservando o meio ambiente.

O Projeto visa reduzir o desmatamento, restaurar florestas e o solo por meio da adoção de práticas agrícolas sustentáveis. O governo do Reino Unido irá doar R$ 80 milhões para o Brasil executar as atividades. Participam do empreendimento os Estados de Mato Grosso, Pará, Rondônia, Bahia, Minas Gerais, Paraná e Rio Grande do Sul.

– A ação tem duração de quatro anos e envolve a adoção de novas tecnologias agropecuárias de baixa emissão de carbono, regularização ambiental, treinamento técnico e educação rural para o desenvolvimento sustentável. Tudo isto em uma área de 41.560 hectares – explicou Antonio Andrade.

Segundo o Embaixador do Reino Unido, Alex Ellis, o Brasil é uma grande potência e atinge todo o mundo com a sua agricultura.

– A nossa relação é de parceria. Já trabalhamos com a Embrapa em outras ocasiões e ela tem muito a nos ensinar. O país reduziu o desmatamento em 80%, isso mostra a competência da gestão brasileira – ressaltou.

Os editais de seleção das unidades demonstrativas devem sair dentro de seis meses. Os produtores vão receber financeiramente para executar o projeto, desde o pagamento por serviços ambientais, até recursos para implantação das unidades.

A cerimônia, que ocorreu na Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), também contou com a presença do presidente da Embrapa, Maurício Antônio Lopes, e da representante do BID no Brasil, Daniela Carrera-Marquis.

Comentários

Compartilhe