Sistema iLPF como prática sustentável

Sistema iLPF como prática sustentável

Técnica pode ajudar a garantir o futuro da produção alimentar no mundo

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) estima que, em 2050, será necessário aumentar a produção de alimentos em 70%, com a premissa de crescer com o menor impacto ambiental possível. Junto a isso há, também, a necessidade de reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE), estimulando as práticas sustentáveis e gerando modelos agrícolas cada vez mais inovadores para garantir o futuro da produção alimentar no mundo.

De acordo com matéria publicada na revista Agroanalysis, um dos modelos de práticas sustentáveis que podem trazer benefícios à agricultura é o sistema de integração Lavoura-Pecuária-Floresta (iLPF), que agrega diferentes sistemas produtivos em uma mesma área e busca aumentar a produtividade e diminuir o risco quanto à produção e à valorização da unidade de produção e da qualidade ambiental.

O modelo iLPF aumenta a reciclagem de nutrientes do solo, diminuindo a erosão e, com isso, ao melhorar a qualidade e as características produtivas, os pastos ganham maior capacidade nutricional na seca. Na produção pecuária há uma melhoria no bem-estar do animal e o resultado é o aumento na produção de grãos, carne, leite, produtos madeireiros e não madeireiros.

Segundo a matéria, esses sistemas são ferramentas importantes para a recuperação de áreas degradadas e a promoção de práticas sustentáveis no campo. Entre os principais benefícios é possível citar a recuperação destas áreas, a conservação de reservas hídricas, manutenção de estoques de carbono do solo e a redução da pressão por desmatamento. Além disso, o sistema iLPF é um dos principais exemplos de boas práticas agrícolas, pois permite que os produtores rurais utilizem de forma mais eficiente os recursos.

Atualmente, o iLPF é a modalidade mais utilizada, encontrada geralmente em fazendas de pecuária, onde culturas de grãos, como arroz, soja ou milho, são introduzidas em áreas de pastagem para recuperar a produtividade.

Comentários

Compartilhe