Sistemas Integrados: vulnerabilidades, risco e crédito agrícola

Sistemas Integrados: vulnerabilidades, risco e crédito agrícola

Foto: Senar

Congresso debate vulnerabilidades climáticas do Eucalipto, Embrapa irá realizar o zoneamento de risco climático para sistemas integrados e recursos contratados do Programa ABC crescem

Em congresso realizado na França entre os dias 17 a 21 de setembro, pesquisadores discutiram os efeitos de mudanças climáticas sobre a cultura do eucalipto. O congresso, realizado pelo instituto Cirad, buscou analisar três temas principais: o papel do eucalipto para serviços ambientais, efeito da seca e efeito de pragas e doenças sobre a cultura da planta. O estudo da vulnerabilidade de plantas sob cenários de mudanças climáticas é de grande importância para os produtores que optam por sistemas integrados.  As espécies utilizadas nesse tipo de sistema produtivo, como o eucalipto, devem ser as mais tolerantes possíveis às diversas ameaças e mudanças no ambiente. Os estudos sobre a vulnerabilidade do eucalipto foram motivados por perdas produtivas ocorridas em situações extremas, fato que pode colocar em dúvida a posição do eucalipto como espécie indicada para sistemas integrados.

Outra notícia de interesse para os produtores de sistemas integrados é a promessa de elaboração do zoneamento agrícola de risco climático (ZARC) para sistemas integrados ou consorciados, como ILP e ILPF. O ZARC é um instrumento de política pública e gestão de riscos na agricultura. Através do ZARC, riscos relacionados aos fenômenos climáticos podem ser minimizados e uma melhor escolha da época de plantio das culturas em cada região é possibilitada. Os estudos que compõem o ZARC analisam fatores climáticos, o solo e ciclos de cultivo através de uma metodologia aprovada pela Embrapa, que será o orgão responsável por elaborar o ZARC para os sistemas integrados.

Por fim, dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento indicam que a contratação de crédito rural entre julho e setembro somou R$ 50 bilhões, um aumento de 32% em relação ao mesmo período do ano passado. A maior parte dos recursos contratados tem como destino operações de custeio e comercialização. Os recursos do Programa de Baixa Emissão de Carbono (ABC), voltados para produtores que adotam práticas agropecuárias sustentáveis, também sofreu um aumento de 112% em relação mesmo período do ano passado.

Para saber mais, acesse:

https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/38102075/mudancas-climaticas-dao-o-tom-para-pesquisas-com-eucalipto

https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/38060969/embrapa-vai-elaborar-zoneamento-para-sistemas-integrados-e-consorciados

http://www.agricultura.gov.br/noticias/contratacao-de-credito-rural-em-alta-de-32-no-trimestre

 

Comentários

Compartilhe